PT | EN | ES | FR

contactez-nouz: +55 (21) 4062-7374

Pesquisa feita para o Centro de Estudos Migratórios mostra que o fluxo de paraguaios para a Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) tem aumentado na última década. Segundo o levantamento, divulgado hoje (7), o grupo é o quarto maior (17,6 mil) depois de portugueses, bolivianos e chineses. A pesquisa mostra que a migração para a […]

Presse

Home > Presse > Estudo mostra que cresce imigração de paraguaios para São Paulo

"La mise à jour et l’accès à l’information de qualité et constante est l’un des principes fondamentaux du travail de Alexandre Tolipan Avocats. Dans cet esprit, nous croyons que la diffusion d’informations journalistiques sur des sujets connexes ayant égard aux activités de notre cabinet, est d’une grande importance pour l’accompagnement de nos clients, collègues et de notre propre équipe."

Estudo mostra que cresce imigração de paraguaios para São Paulo

Pesquisa feita para o Centro de Estudos Migratórios mostra que o fluxo de paraguaios para a Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) tem aumentado na última década. Segundo o levantamento, divulgado hoje (7), o grupo é o quarto maior (17,6 mil) depois de portugueses, bolivianos e chineses.

A pesquisa mostra que a migração para a RMSP tem aumentando recentemente. A maior parte (50,3%) dos nascidos no Paraguai residente na região metropolitana estabeleceram-se depois de 2005. O estudo destaca ainda que dois a cada três paraguaios que mudaram para o Brasil, o fizeram após os anos 2000.

“São Paulo está a apenas uma madrugada de ônibus da fronteira com o Paraguai. Dependendo da época do ano, a passagem pode custar menos de R$ 200. Desse modo, o custo do deslocamento, a distância, o não recrudescimento das políticas migratórias, a situação econômica ascendente do país na primeira década dos anos 2000 são fatores a serem considerados para explicar o incremento recente dos paraguaios em São Paulo”, diz o texto da pesquisa coordenada pelos sociólogos Tiago Rangel Côrtes e Carlos Freire da Silva.

A migração para a RMSP nem sempre foi a primeira opção dos paraguaios. Segundo o estudo, ao longo da década de 1990, o Brasil não foi o destino prioritário: apenas 15,1% da população paraguaia que reside na RMSP ingressou entre 1981 e 2000. “Foi a partir da crise argentina deflagrada em 1990 e agudizada em 2001 e 2002 que os paraguaios começaram a rumar para São Paulo e para a Espanha em maior quantidade”.

O estudo ressalta que, apesar dos dados do Ministério da Justiça, de 2011, mostrarem que 17.604 paraguaios moram na RMSP, o Consulado Paraguaio e as organizações Paraguai Teete e Japayke apontam entre 40 mil e 60 mil paraguaios na região.

A pesquisa completa foi publicada na revista Travessia, do Centro de Estudos Migratórios. (Fonte Agencia Brasil)

Facebook Twitter Google+ LinkedIn Email